Com uma nova temática, o Hopi Hari surpreende com o básico em vários aspectos durante a temporada. Confira agora a análise completa da Hora do Horror 2018: Sacrificium.

 

31 de Outubro de 2018

Personagem na catedral de ossos

E estamos aqui. Mais de um ano depois da reinauguração do Hopi Hari. Mais de um ano depois de “Karnak”. Novas expectativas foram colocadas na nova temporada da Hora do Horror, e que se redimiria com a edição do ano passado que foi bem complicada em questão geral. O resultado foi um combo de surpresas para quem ama de verdade o evento. E qual não foi nossa surpresa com “Sacrificium”?.

Com o time atualizado para a produção de eventos no parque, embora já a algum tempo trabalhando lá dentro, a “Harikadabra” teve sua estréia com a Hora do Horror deste ano. Uma equipe de peso foi reunida para trazer aos dias de hoje a representação do século XV, dentre eles temos Rogério Barbatti, Eduardo Campos, Anderson Rodrigues, José Roverato e Victor Akkas que ambos tem um grande histórico e experiência em eventos do gênero.

Este ano sem dúvidas tivemos mais acertos que erros. Tivemos sim alguns deslizes e problemas, mas comentaremos mais a frente com vocês ao decorrer da nossa análise. Eaí? Vamos começar?

“A escuridão vai se apoderar, das injustas mortes se vingar. Dos mil julgados reviver e assim a peste se alastrar!”

TEMA

O último dos temas que eu pensava que o parque poderia trabalhar seria exatamente esse. Não por questões que o Hopi Hari sempre procurou preservar, mas sim porque na minha cabeça não haveria muito o que se trabalhar ou não seria tão assustador como qualquer outro tema. E posso falar a vocês que me enganei.

Personagem principal do evento Hopi Hari

A história deste ano, me surpreendeu. Mesmo com os videos divulgados ao decorrer do tempo, não me fariam pensar em algo como a “Profecia dos Gêmeos”. A vibe passada através da divulgação, foi empolgando aos poucos juntamente com as novidades que foram sendo apresentadas ao decorrer dos dias.

Sacrificium mostrou a público que as bruxas tem um lado muito mais obscuro e horripilante do que as histórias que estamos acostumados a ouvir. E que a idade das trevas é bem mais “cool” do que lemos em livros e assistimos em filmes. Ser traído e enganado por uma bruxa? Quem está certo? Queimem a Bruxa ou Soltem a Bruxa? Essas foram algumas das questões levantadas esta temporada.

Queimem a Bruxa X Salvem a Bruxa

O Portal do Horror criou uma enquete para o público decidir sobre o destino das feiticeiras da Hora do Horror. Com isso lançamos #QUEIMEMaBRUXA e #SALVEMaBRUXA. Qual foi o seu lado?

Durante os meses de agosto, setembro e outubro a votação recebeu centenas de votos do publico e o pessoal não teve piedade das bruxas. E #QUEIMEMasBRUXAS saiu com mais de 50% dos votos em nosso site. Em nossa página no Facebook também lançamos a enquete e novamente o público votou por queimarem as feiticeiras.

Resultado da Hora do Horror

Na arena das inquisições também teve bruxa queimada! Após capturada, o destino das bruxas ficou nas mãos dos vistantes que poderiam optar por solta-la ou queima-la. Mesmo com pedido de ajuda feito pela feiticeira, nada adiantou, e encerrou seu destino na fogueira!  Antes de executar a sentença, a bruxa ainda deixou um recado: “Nesta noite, irei fazer uma visitinha a vocês! Toda Queimada HAHAHAHA!

Show Arena das Inquisições (Douglas Ribeiro)

PALCO PRINCIPAL

Uma das grandes surpresas este ano foi o palco principal do evento. Contando com a estrutura de um dos maiores palcos que o parque já teve em sua existência, trouxe uma experiência nova aos visitantes que contou ainda com um painel led em sua volta.

Ali como tradição, é contada a história que dá base ao evento deste ano durante sua apresentação de abertura e encerramento. Tive um pouco de dificuldade para entender alguns pontos da história em si, e consegui acompanhar após assistir algumas vezes a mais. Fora isso, foi simplesmente incrível. Desde o início com os duelos de espadas, até o momento final foi sensacional, tudo isso para remeter a época juntamente com uma cenografia de um castelo em ruínas.

Ator Hora do Horror do Hopi Hari

Temos vários pontos altos e até mesmo fortes que nunca esperaria de uma abertura do evento como: “6 jarros de sangue de 6 partos em 6 túmulos. em seu parto de número 666″… Quando escutei aquilo, cheguei até arrepiar de medo O.o . As partes dançantes ficaram ótimas, principalmente com a quantidade de atores no palco acompanhados de um remix diferente de “Survivor“.

“-Noites Fria, Não é mesmo?”

E para o encerramento voltamos aos dias de hoje, com um pequeno plot na história. Para fechar, tivemos uma versão diferenciada da música “Sweet Dreams” seguida por um Dubstep que ainda estou procurando saber qual o nome.

ATRAÇÕES

No total, este ano tivemos 5 atrações voltadas ao evento com exceção do palco principal. O “Covil das bruxas” localizado no caminho do lago, “Maleficarum” atrás do Kastel de Lendas, “Morttus” ao lado do West River Hotel, o pocket show “Arena das Inquisições” e uma pequena passagem chamada de “Catedral dos Ossos“.

Personagem Hora do Horror Sacrificium

O Covil e Maleficarum, ambos eram túneis grandes, cada um com as suas surpresas e identidade. Nos primeiros dias houveram problemas, como falta de personagens em várias salas durante algumas visitas, mas isso foi resolvido já no final de semana seguinte e mantendo o mesmo nível até o final. Tomei vários e vários sustos, principalmente no Maleficarum onde tinhamos uma bruxa do @#$%@% que saía do escuro e batia uma corrente na mesa. Eu tomei susto, praticamente todas as vezes que eu fui, porque simplesmente não lembrava onde ela ficava… aí já viu.

O Morttus e a Catedral, por mais pequenos que fossem, me surpreendi demais com eles. A catedral tinha elementos marcantes, pois suas paredes eram repletas de ossos humanos, tendo até um altar formado por esses ossos. O cemitério foi incrível, mesmo sendo pequeno, a fumaça e os jogos de luz fizeram uma diferença gritante ao lugar. Se eu queria tirar algumas fotos lá dentro? Com certeza.. mas… ficamos no mas.

Personagem Hora do Horror Scrificium

A arena onde queimavam a bruxa foi algo inesperado também. Em um curto tempo fazem uma rápida apresentação para a sentença e interagiam com o público. Usando alguns truques de mágica, a bruxa sumia no lugar de ser queimada (vide video acima). Além disso, também tivemos uma pequena mudança na temática do Evolution.

AS RUAS DO PARQUE

Provavelmente o ponto onde mais pecaram, e principalmente em Mistieri. Parece que as ruas não receberam muita atenção como os túneis, é relevante e justificável, já que as atrações eram o principal.

Em Wild West temos um fluxo um pouco maior, mas talvez com uns 2 dois monstros a mais que Mistieri. Os personagens ficavam distantes uns dos outros, não chegamos a ver interação entre eles mesmos a não ser na Catedral dos Ossos e o Clã da Resistência que foi um dos grandes destaques das ruas juntamente com as Bruxas de Wild West.

Clã da resistência Hora do Horror 2018

O diferencial desse clã que ao mesmo tempo tinham um belo e elegante visual, conseguiam levar um ar macabro em seus olhos e bocas negras. Eles não tinham local fixo, e rodeavam as duas regiões do parque em que o evento acontecia. As ruas poderiam sim ter sido melhores, mas como disse, é compreensível já que tivemos mais atrações.

SOUVENIRS E MAIS

A algum tempo não tínhamos novidades na área de souvenirs, e voltaram a ideia durante este ano. Tivemos camisetas, cordões e até bonés com a temática da Hora do Horror. A Karta di Hopi Hari totalmente modificada para o evento deste ano e também a volta do Vip Pass também com a temática do evento.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Com um avanço GIGANTE comparado ao ano passado e a outras edições do evento, a Hora do Horror 2018 trouxe muito do que esperávamos e pedimos para a temporada. Várias atrações, luzes ambiente nas ruas, uma história interessante embora um pouco confusa, um clima mais pesado e uma coisa que não podemos dizer que faltou foi fumaça, MUITA fumaça.

Uma divulgação ainda um pouco tímida mas com conteúdos interessantes, conseguiu chamar a atenção de uma grande massa que ainda gosta do evento, e aos poucos vai retomando seu espaço e resgatando os antigos visitantes.

Não esquecemos de mencionar o ARG, que a muito tempo pedimos, mas assim como a divulgação do evento, apareceu muito tímido e acabou se perdendo e esquecido ao longo do evento.

Como disse no início, tivemos mais acertos do que erros durante a temporada de Sacrificium. E nesse camminho, podemos esperar algo no mesmo nível ou até melhor que este ano. Agora ficamos somente nas saudades e lembranças do que tivemos e aguardando ansiosamente para a edição de 2019.

Pontos a serem observados sobre a Hora do Horror 2018:

(+) Ótimo desenvolvimento na tematização escolhida;

(+) Cenografia, apresentação e estrutura do Palco;

(+) Proposta mais dark e intensa;

(+) Pocket Shows;

(+) Caracterizações, próteses/maquiagem;

(+) Túneis e atrações;

(-) Ruas do evento;

(-) História um pouco confusa;

(-)  Sem prorrogação.

 

You May Also Like

ESCOLA DE MONSTROS: Uma nova experiência em um reality voltado ao mundo do horror

Um novo reality totalmente diferente do que você já viu está chegando:…

HORA DO HORROR: Revelada produtora responsável pela edição deste ano

 A produtora responsável pela criação e desenvolvimento da Edição Histórica da Hora…