Mais uma vez criei coragem, e resolvi assistir o filme que esteve no Top 10 da Netflix esta semana. Confira minha análise sobre o filme “A Marca do Demônio”.

FICHA TÉCNICA
Título do Filme: A Marca do Demônio
Duração: 105 minutos
Elenco: Eduardo Noriega, Eivaut Rischen, Lumi Cavazos, Nicolasa Ortíz, Omar Fierro e Arantza Ruiz
Direção: Diego Cohen
Ano: 2020

É muito raro você não me ver procurando por filmes de terror para assistir, principalmente na Netflix. Mas com todas essas correrias, ficou um pouco mais difícil eu sentar e procurar alguma coisa, mas devido a nossa quarentena, consegui esse tempo.

Estava eu nas sociais, quando vejo vários links de matérias sobre o lançamento desse filme e várias pessoas falando de assistir. Vendo a imagem de uma criança bizarra na capa das notícias já me assustou… porque convenhamos, criança + terror só pode ser uma combinação no mínimo tensa, ou será que não?

Já fazia um bom tempo que não assistia algum filme relacionado a exorcismos, digo muito tempo mesmo, então meio que criei uma certa expectativa para esse aqui mesmo minha namorada prevendo que não seria tão legal. E qual não foi minha decepção?

Pois é, me decepcionei e muito. Mesmo “con mi culo en la mano“, fui assistir a “A Marca do Demônio”, e qual não foi minha surpresa a surpreendente comparação com o filme de nome parecido e bebe da mesma fonte de “Evil Dead / A Morte do Demônio”.

Um livro antigo, que quando lido por um grupo de adolescentes, libera um demônio que acaba possuindo um dos integrantes… conheço essa história de algum lugar não é?

O diferencial daqui é ele misturar um pouco da pegada do legado dos demônios de Supernatural onde se tem um certo controle sobre isso, e aprimoram no filme com um “exorcismo” a socos. Pois é… a pancadaria. Além de que os possuídos, comem carne humana – detalhe que deixei escapar.

A história do padre Tomás (Eduardo Noriega) – sósia do Erico Borgo – que adota o menino endemoniado, Karl (Eivaut Rischen), não demonstra uma verdadeira relação de pai e filho – temos alguns choros mas achei um pouco forçado – apenas algo superficial, e você não cria empatia por nenhum dos protagonistas, na verdade por nenhum dos personagens do filme. As coisas apenas vão acontecendo e você vai tentando encaixar as peças ao decorrer do longa.

Como estamos na contagem de sustos para este filme? Bom, tomei apenas 1 susto, e nem era a intenção aqui. Teve um momento onde o padre Tomás tem um leve surto e explode do nada empurrando uma cama e gritando. Pois é.. me assustei com isso.

Claro que o filme tem seus pontos positivos como a parte do gore que achei muito bacana. Já vi efeitos em filmes independentes bem melhores, mas até que aqui ele faz jus e cumpre seu papel.

No final, vale a pena a assitir ‘La Marquita del Diablito‘ se for algo ocasional e você não esteja procurando fortes emoções. É um filme bem pipoca, pode assistir tranquilo. Mas se está procurando um filme de terror para realmente se assustar, posso te dar outras recomendações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like

Léo Áquilla encara Montezum no Balanço Geral SP

 Hoje(10), foi ao ar ao vivo, no programa Balanço Geral- SP, uma…

Últimas atualizações sobre a Hora do Horror 2011 – Epidemia

Há uma nova epidemia se espalhando no Brasil… O site da Hora…